A ORDEM DOS FRADES MENORES CONVENTUAIS

Frades reunidos com o Papa Bento XVI em 2012

A Ordem dos Frades Menores Conventuais (ou Franciscanos Conventuais) é um ramo da ordem religiosa que foi fundada por São Francisco de Assis em 22 de dezembro de 1209 com o nome original de Ordo Minorum e à qual foi acrescentado o título de Conventuais. O nome Conventual surgiu entre 1249 e 1250 identificado em bulas papais por identificar aqueles frades que viviam em conventos, inseridos nas cidades, dedicados aos estudos e ao trabalho apostólico em igrejas chamadas conventuais e que valorizavam intensamente a fraternidade desejada por São Francisco de Assis como característica da sua Ordem religiosa.

Organograma do evolução histórica da Ordem Franciscana

Os Franciscanos no Brasil

Os franciscanos foram os primeiros missionários a pisarem o solo da Terra de Santa Cruz. Na esquadra de Pedro Álvarez Cabral entre os tripulantes haviam oito Frades Franciscanos chefiados pelo Capelão-mor Frei Henrique de Coimbra, que naquela época era guardião do Convento de Alenquer em Portugal, convento este que aceitara bem a reforma divulgada em toda a Ordem chamada da Observância.

A primeira missa no Brasil de Victor Meirelles (1832-1903)

Quanto aos Frades Menores Conventuais (identificados com este nome jruridicamente a partir de 1517) são poucas as informações que falam da presença destes na colonização do Brasil. Ao longo do século XVI apresenta-se um verdadeiro silêncio nas fontes históricas. Os historiadores expressam-se genericamente afirmando que eram franciscanos. Eles falam das expedições e dos missionários, na maioria das vezes apresentam-nos como "franciscanos, minoritas, frades menores, províncias, capuchos", sem apontar se são ministros ou vigários, e portanto, pertencentes aos Conventuais, Observantes ou Capuchos (mais conhecidos como Alcantarinos), e sem especificar cada uma das famílias franciscanas que trabalharam na colonização do Brasil.
Na maioria, são os historiadores que preferem não entrar na floresta das ramificações franciscanas. Por esta razão não é possível dar uma resposta satisfatória "ainda" sobre a contribuição Franciscana Conventual na evangelização do Brasil. Recentemente os historiadores debruçados nas Crônicas da Ordem encontraram descrições de presenças exporádicas de Conventuais passados a reforma Alcantarina no Brasil, uma vez que a fundação da Custódia de Santa Antônio em Olinda - PE foi fruto da Província de Santo Antônio de Lisboa de Portugal.

A Ordem dos Frades Menores Conventuais no Brasil

1. Custódia Imaculada Conceição


A primeira fundação dos Frades Menores Conventuais na América Latina é Custódia Imaculada Conceição no Rio de Janeiro. Houve uma tentativa fracassada da Província Gênova em Honduras e da Província de Roma em Minas Gerais, no início do século XX. Os primeiros missionários foram os freis: Fintan Kelty, Xavier Scheridan e Sixto Patrik. Chegaram em 1946, vindos da Província Imaculada Conceição - EUA. A Custódia Imaculada Conceição abrange os Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás. Em 1949 a fundação brasileira projetou uma universidade rural nas proximidades de Andrelândia Minas Gerais. Tornou-se Custódia Provincial em 1970.
Em 1994 fundou a creche-escola São Maximiliano Kolbe em Araruana - RJ. Em 1998, foi lançada a revista São Francisco em Conversa, meio de evangelização franciscana no meio universitário e popular.
A Custódia tem hoje (2001), cinco conventos com 45 frades e 23 seminaristas, que atendem 5 paróquias.

 

2. Província São Francisco de Assis


No dia 02 de janeiro de 1949, Frei Vitório Valentini (presbítero) e Frei Marino Temporin (irmão), desembarcaram no Porto de Santos - SP provenientes da Basílica de Santo Antônio, Pádua (Itália). Logo em seguida chegaram os freis Luciano Biásio e José Caruso (da Província da Sicília). Estabeleceram-se em Santo André, assumindo a Paróquia Senhor do Bonfim, onde construíram uma bela igreja. Em 1952 começou a construção do Seminário Seráfico para acolher meninos vocacionados a vida religiosa e franciscana.
No dia 17 de dezembro de 1970, durante o primeiro capítulo Custodial, foi eleito o primeiro custódio Frei Luiz Favaron. E no dia 13 de setembro de 1981 tornou-se Província São Francisco de Assis com sede em Santo André. No dia 05 de janeiro de1983, no primeiro capítulo Provincial celebrado em Curitiba, foi eleito primeiro provincial Frei Geraldo Monteiro. Em 1989 foi decidida a abertura de uma Missão em Angola (África). E no dia 17 de abril de 1990, chegaram os primeiros missionários em Luanda. Por causa de dificuldades surgidas com a hierarquia da Igreja Local, saúde dos missionários minada pela malária, guerra entre governo e guerrilheiros e por falta de novos missionários a missão temporariamente foi fechada em 1998.
Atualmente a Província São Francisco de Assis conta com 11 conventos, 3 seminários, 1 noviciado e 13 paróquias. Está presente em quatro Estados: São Paulo, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul.
A província, sobretudo nestes últimos anos, se dedicou a diversas obras:
- Rádio Imaculada Conceição e Revista "O Mensageiro de Santo Antônio".
- Centro Educacional São Maximiliano Maria Kolbe.
- Creche: Cidade dos Meninos Maria Imaculada, para atendimento de meninos e meninas de rua.
A Província São Francisco de Assis em 1999 celebrou seus 50 anos de Fundação.
(Fontes: 1. Província São Francisco de Assis 50 anos, Ed. O Mensageiro de Santo Antônio 1999; 2. Perfil Franciscano Ano 2000 500 anos de presença no Brasil Petrópolis 2000; 3 Frades Menores Conventuais - História e Vida 1209-1995, Roma 1978-Brasília 1997).


3. Delegação Provincial São Boaventura


A missão do Maranhão, aberta em 1968 e fundada oficialmente em 1969, surgiu na perspectiva de um serviço missionário numa das regiões mais pobres do nordeste brasileiro, na diocese de Viana. Os pioneiros foram Frei Luiz DAndréa, hoje bispo, Frei Mário Palone, Frei Eduardo Rossi e Frei Antônio Sinibaldi, falecido para salvar alguns jovens num naufrágio, tendo seu túmulo ainda hoje venerado em São Luís. Todos eram provenientes da Província Romana - Itália.
No ano seguinte, foi aberta uma casa em São Luís, capital do Estado.
Depois da morte prematura de D. Hélio que convidou os franciscanos, o novo bispo, simpatizante do regime militar, quis destruir tudo quanto o anterior tinha realizado. Houve uma seqüência de conflitos, dos quais os franciscanos foram injustamente culpados.
A missão esteve a ponto de desaparecer. A intervenção do Ministro Geral Frei Vitale Bommarco, e a figura carismática do Cardeal Pironio, prefeito da Congregação dos Religiosos, fez com que os franciscanos não fossem expulsos do Brasil. A confiança da qual os franciscanos gozavam junto aos bispos da região era tamanha que, para assegurar sua presença, propuseram uma nova divisão territorial das dioceses, de modo que a missão franciscana ficasse fora da jurisdição da diocese de Viana e pertencesse à diocese de Cândido Mendes.
A delegação tem atualmente 4 conventos e 3 paróquias.

 

4. A província São Maximiliano Maria Kolbe do Brasil

 

Frades no Convento Imaculada Conceição (Jardim da Imaculada - Polônia)

1. A Missão

A província-mãe na Polônia - Imaculada Conceição em Varsóvia - desejando agradecer a Deus pela graça da beatificação de São Maximiliano decidiu fundar uma missão; houve convites insistentes para ir para a África central, porém o Brasil foi o lugar escolhido. O objetivo maior dos missionários era responder ao anseio da Ordem de lançar-se à missão.
"Por ocasião da beatificação do Frei Maximiliano Maria Kolbe e da extraordinária difusão do conhecimento da santidade dele no mundo inteiro, a Província-Mãe dele decidiu abrir um novo campo de trabalho apostólico. Depois de muitas reuniões optou pelo Brasil. Por um argumento especial serviu uma clara menção do Frei Maximiliano que enumerava o Brasil dentre os países por onde queria fundar a Ordem". (Folheto descritivo datilografada da Missão da Província Polonesa da Imaculada em Uruaçu-GO ca.1974/1975. Arquivo Provincial/professos solenes/frei agostinho/ cartas digitalizadas).

Frei Agostinho Januszewicz quando missionário em 1974

O primeiro frade a desembarcar no Brasil foi frei Agostinho Januszewicz, aos 16 de outubro de 1974. Ele tinha o encargo de escolher uma região para estabelecer a Missão. Houve motivações para se dirigir ao sul( em razão do clima), porém os caminhos se abriram para Uruaçú -GO. O Bispo D. José da Silva Chaves se prontificou a acolher a Missão. Em 18 de janeiro de 1975 desembarcaram no Rio mais quatro frades para integrar à Missão; em 29 de Maio de 1975 assumiram em Uruaçú uma Paróquia chamada S. Sebastião.
As pesquisas para encontrar um lugar adequado não foram fáceis, elas duraram desde agosto de 1975 até março de 1977. Em 15 de março de 1977 foi comprado um terreno no município de Luziana GO, na vizinhança da Cidade Ocidental. Parecia próximo de se realizar os objetivos dos missionários que era encontrar um terreno para a sede da missão e primeiro convento. O terreno era cerca de 5 alqueires. Em 17 de Agosto de 1977, vieram frei Agostinho e frei Miescislau para começar desmatar o terreno e torná-lo um verdadeiro "jardim".

Missionários Poloneses com o Ministro Geral Frei Marco Tasca

Aos 8 de dezembro se deu a benção à estátua da Imaculada na entrada das futuras instalações. Benzeu-a frei Luís Siracuse OFM. Este frade foi dedicado amigo da obra nascente. Em 23 de janeiro, era erigido canonicamente o primeiro convento da Missão. Aos 25 de fevereiro de 1978, frei Agostinho e frei Miescislau passara a morar na primeira casinha construída no Jardim da Imaculada, a Casa Kolbe.

A partir do mês de janeiro de 1979, começou a sair o "Cavaleiro da Imaculada," com a primeira tiragem de 4.500 exemplares mimeografados, sem taxas, com apenas as colaborações espontâneas dos assinantes.
Aos 8 de junho de 1979 foram criadas e confiadas aos Frades do Jardim da Imaculada duas paróquias: a de Santo Antônio na Cidade Ocidental e a outra de São Pedro Apóstolo, em Pedregal.

Em 19 de março de 1977, foi assumida a Paróquia de S. José em Niquelândia, Diocese de Uruaçú. A paróquia tinha uma área territorial bem extensa, com cerca de 13 mil km2 com 88 capelas ou pontos pastorais espalhados; aos 31 de janeiro de 1980, foi estabelecido canonicamente o segundo convento da Missão, seria o são José, em Niquelândia GO.

Era desejo dos primeiros frades, desde o início, estabelecer-se nos territórios de Brasília capital do País, porém deu-se um passo promissor quando a missão aos 16 de dezembro de 1980 recebeu a missão de cuidar da paróquia de São Marcos e São Lucas situada no Setor P. Norte. DF

Logo em 1981, aos 04 de outubro, a Arquidiocese de Brasília criou uma nova Paróquia: a de São Francisco de Assis no extremo da Asa Norte, confiando-a aos cuidados dos Frades. No dia 01 de dezembro a Cúria Provincial emitiu o decreto de ereção do Convento de São Francisco de Assis em Brasília.

Nem todos que vieram ao Brasil puderam continuar. Frei Edmundo Grabowicki adoeceu gravemente no início de 1976. O diagnóstico era a evidência de um câncer... Fr. Edmundo voltou a Polônia , profundamente conformado ofereceu seus grandes sofrimentos e sua vida pelo êxito da missão. Dentro de sete meses veio a falecer, isto em 09 de fevereiro de 1977.

Outro que voltou a Polônia foi o frei Estevão Tokarski, em 1978. O terceiro foi frei Marcos Ignaszewski, sua saúde estava abalada a tal ponto que teve que procurar outro clima. Atualmente ele está no Canadá.

2. A Custódia

Em 1983, a missão contava com 3 conventos canonicamente fundados e 13 frades. O visitador da parte da Cúria Geral de Roma, feita a visitação oficial, insistiu na promoção da Missão para Custódia Provincial. Esta idéia foi levada ao Capítulo Provincial realizado no mês de agosto, foi aceita e votada pelo mesmo. Desta forma o Ministro Provincial, em 17 de outubro de 1983 assinou o decreto de ereção canônica da Custódia de São Maximiliano Maria Kolbe.
Neste período duas significativas realizações são de singular importância para a história, foi a criação do Instituto São Boaventura e também do Noviciado própria em Niquelândia - GO, ambos iniciaram suas atividades em 1995.

3. A Província

Frades reunidos no último capítulo provincial de 2011

 

Em 2003 a Custódia São Maximiliano Kolbe contava com 8 conventos canonicamente fundados e com 65 frades professos solenes. Por essa ocasião, convocado o Capítulo Ordinário, após visita canônica, o Governo Geral aprovou a solicitação de tornar-se uma Província sob o Título de São Maximiliano do Brasil.
Hoje a Província São Maximiliano conta com 17 presenças entre conventos (13) e casas filiais e de missão (4). A Província abrange os estados do Goiás (7 presenças), do Distrito Federal (4 presenças), da Bahia (2 presenças), da Paraíba (1 presença) e do Amazonas (3 presenças).

Dom Frei Agostinho junto ao Rio Juruá em Juruá - AM

Além destas presenças residenciais, a Província desenvolve apostolados de relevância. Na área da educação mantém 3 instituições de ensino, a saber: O Colégio Santo Antônio na Cidade Ocidental - GO, o Instituto São Boaventura de Filosofia e Teologia em Brasília - DF e o Centro Educacional São José da Paróquia São Maximiliano Kolbe de Águas Lindas - GO.
No vasto caminho devocional e assistencial a Província mantém uma revista "Cavaleiro da Imaculada" anexada as Edições Kolbe com sede na Cidade Ocidental - GO e também o Movimento Leigo da Milícia da Imaculada com sede no mesmo lugar.
No campo da pastoral os bispos depositam sobre a responsabilidade dos Frades 14 paróquias onde os frades desenvolvem o trabalho pastoral diocesano e também franciscano, com várias fraternidades da Ordem Terceira (OFS).

A Província reserva grande parte de suas forças à dimensão vocacional com 3 seminários, a saber: Casa de Formação São Maximiliano Kolbe (Postulantado) no Jardim da Imaculada na Cidade Ocidental - GO, o Seminário Santa Maria dos Anjos (Pré-noviciado - Estudantes de Filosofia) em Santa Maria - DF e o Seminário São Francisco de Assis (Pós - Noviciado - Estudantes de Teologia) em Brasília - DF).


Recorde-se, para a memória, nesta breve biografia provincial os ministros:

(1974 - 1983) - Delegado Provincial Frei Agostinho Januszewicz
(1983 - 1986 ) - 1º Custódio Provincial (+) Frei Agostinho Januszewicz (17/10/83)

(1986 - 1989) - 2º Custódio Provincial Frei João Wilk (28/06/86) 1º Mandato
(1989 - 1992) - Custódio Provincial Frei João Wilk (30/06/89) 2º Mandato

(1992 - 1995) - 3º Custódio Provincial Frei Miecislau Tlaga (23/09/92) 1º Mandato
(1995 - 1999) - Custódio Provincial Frei Miecislau Tlaga (11/10/956) 2º Mandato

(1999 - 2003) - 4º Custódio Provincial Frei João Benedito Ferreira de Araújo (04/10/99) 1º Mandato
(2003 - 2007) - 1º Provincial Frei João Benedito Ferreira de Araújo 2º Mandato

(2007 - 2011) - 2º Provincial Frei Norberto de Moura Cruz 1º Mandato
(2011 - 2015) - Provincial Frei Norberto de Moura Cruz 2º Mandato